Acidente da Chapecoense na Colômbia: O que foi, como aconteceu

Um dos maiores desastres dentro e fora do futebol, o acidente da Chapecoense na Colômbia afetou diversas pessoas em vários lugares do mundo. Até hoje é algo lembrado com muita tristeza, mas com orgulho de terem chegado aonde estão hoje. Superando e seguindo enfrente com o que aconteceu.

Voo LaMia 2933

O voo 2933 da LaMia foi um voo charter, operado pela companhia com a identificação LMI2933, a serviço da Associação Chapecoense de Futebol, proveniente de Santa Cruz de la Sierra, Bolívia, com destino ao Aeroporto Internacional José María Córdova em Rionegro, Colômbia. Na noite de 28 de novembro de 2016, a aeronave que realizava este voo caiu próximo ao local chamado Cerro El Gordo, ao se aproximar do aeroporto em Rionegro.

A aeronave trazia 77 pessoas a bordo, tendo por passageiros atletas, equipe técnica e diretoria do time brasileiro da Chapecoense, jornalistas e convidados, que iriam a Medellín onde o clube disputaria a primeira partida da Final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional. Entre passageiros e tripulantes, 71 pessoas morreram na queda do avião e seis foram resgatadas com vida.

Dos mortos, vinte eram jornalistas brasileiros, nove eram dirigentes (incluindo o presidente do clube) dois eram convidados, quatorze eram da comissão técnica (incluindo o treinador e o médico da equipe), dezenove eram jogadores e sete eram tripulantes; dos seis ocupantes que sobreviveram, quatro eram passageiros e dois eram tripulantes. Pelo total de vítimas, esta tragédia torna-se a maior da história com uma delegação esportiva e a maior do jornalismo brasileiro.

Acidente da Chapecoense

Seis pessoas foram resgatadas com vida e foram para o hospital: os jogadores Alan Ruschel, Neto e Follmann, o jornalista Rafael Henzel, o técnico da aeronave Erwin Tumiri e a comissária de bordo Ximena Suarez. O goleiro Danilo também tinha sido resgatado com vida, mas morreu no hospital.

Acidente da Chapecoense na Colômbia: O que foi, como aconteceu

Segundo as autoridades colombianas, a lista do voo tinha 81 nomes: 72 passageiros e 9 tripulantes.

No entanto, a relação inclui quatro pessoas que não embarcaram. Seis funcionários da Fox Sports, entre eles o ex-jogador e comentarista Mário Sérgio, estavam no avião.

As duas caixas-pretas da aeronave foram encontradas. As autoridades britânicas anunciaram o envio à Colômbia de três investigadores para analisar a cena do acidente – o avião da companhia boliviana LaMia foi fabricado pela British Aerospace.

O Velório na Arena Condá

O velório foi sobre muita chuva e muito choro na Arena Condá, estádio da Chapecoense. No total, foram 50 caixões velados na Arena. A Chapecoense jogaria a final de uma competição internacional pela primeira vez na sua história se tivessem conseguido chegar no local.

“O acidente da Chapecoense foi a maior tragédia que Chapecó pode passar. Eu estava me deslocando para lá, mas tive um compromisso com os prefeitos eleitos de São Paulo. Meu nome estava na lista dos que iam para Colômbia. É por essas coisas que só Deus explica que acabamos ficando”, disse Buligon no dia da tragédia.

Vários torcedores compareceram a Arena Condá naquele dia, muitos se abraçaram e fizeram homenagens aos mortos e seus familiares presentes.

A aeromoça Ximena Suarez, uma das seis pessoas sobreviventes na tragédia com o voo da Chapecoense que matou 71 pessoas na Colômbia, usou seu Facebook para defender o piloto e amigo Miguel Quiroga. Ele foi considerado um dos culpados pela queda da aeronave, que ficou sem combustível antes de pousar em Medellín.

Acidente da Chapecoense na Colômbia: O que foi, como aconteceu
4.7 (93.33%) 3 votes

Quer receber as notícias da Chape no seu e-mail, inteiramente grátis?